top of page
DSC03104-2.jpg

Flexibilidade para trabalhar de onde eu quiser. Será que é o que eu preciso?

Não sei vocês, mas eu confesso que eu já estou cansada e perdida neste dilema se o melhor é trabalhar de casa, ou do escritório ou de qualquer lugar.


Há muitos estudos, artigos, cientistas, tendências, avaliações, pesquisas, opiniões de profissionais da saúde, de CEOs, de profissionais da educação, de representantes religiosos, de mães, de pais, de periquitos e de papagaios, falando sobre trabalho híbrido, trabalho remoto, home office ou da volta aos escritórios. Para cada leitura realizada, um comentário diferente e cheio de comprovações científicas.


Mas entre tudo que eu li e ouvi, uma reflexão me chamou muito a atenção, e é com este olhar, que resolvi também expressar minha opinião:

"Pessoas interessantes deixarão de trabalhar onde não há flexibilidade" diz Lynda Gratton, professora da London Business School,

Eu me considero uma pessoa muito interessante (sem falsa modéstia). E, eu ainda tenho dúvidas se a total flexibilidade é o melhor para mim. Com as experiências que já tive na vida, sempre quando tenho muuuuuitas opções, eu fico mais propensa em atingir o meu esgotamento mental, do que quando eu tenho exatamente o que eu preciso, vejam essas situações que já vivi:

  • quando estou no estacionamento de um shopping ou de um supermercado, e tenho muitas opções de vagas para estacionar, fico sempre em dúvida qual o melhor lugar para parar o carro, e logo me canso.

  • quando vou em uma loja de departamento e tem opções de roupas para todos os gostos e tamanhos, sempre fico em dúvida em qual escolher, e logo me canso.

  • quando abro a netflix, globoplay, prime, Disney e outras mais, sempre fico na dúvida em qual filme, série ou documentário assistir, e logo me canso.

  • me canso quando tenho muitas opções para escolher lugar para ir, restaurantes para experimentar, livros para ler, cursos pra fazer, tarefas pra cumprir, e várias outras decisões.

Neste ótica, ter a total flexibilidade, ou seja, a opção de poder trabalhar de onde quiser, quando quiser, como quiser e outros "quiseres", para pessoas como eu, talvez seria mais um fator de esgotamento mental.


Também acredito que esgotamento mental estão passando a alta liderança de muitas empresas, pois não está fácil atender tantas necessidades individuais, tantas realidades específicas, tantas opiniões singulares, em um ambiente no qual foi constituído para predominar o coletivo.


Por isso que, diante da minha realidade, na matéria sobre flexibilidade no trabalho, eu confesso, que eu me sentiria mais acolhida, mais engajada, mais dedicada em um ambiente que me proporcionasse exatamente o que eu preciso. Que reduzisse a minha obrigação de fazer escolhas o tempo todo, de ficar em casa, ou de ir para o escritório, e, principalmente, ter que agradar pessoas a todo tempo.


E porque falo sobre agradar pessoas a todo tempo. Geralmente, quando temos total flexibilidade abre também a obrigatoriedade de acomodar tudo e todos na nossa vida, pois fica difícil você falar "não para filhos" quando eles sabem que você pode trabalhar de casa, falar "não para reuniões" quando elas sabem que você pode se conectar de qualquer lugar, falar "não para conjugues" quando eles e elas sabem que você tem autonomia de escolha, falar "não para líderes" quando todos sabem que você tem flexibilidade.


Então, o que eu preciso, não é flexibilidade, e sim praticidade | simplicidade.


Que no meu caso, com relação ao local de trabalho, precisa ser um local onde eu possa me concentrar para realizar as minhas tarefas, que eu tenha uma condição ergonômica favorável, que eu esteja cercada de pessoas que querem crescer juntos, que eu eu tenha um desafio que eu goste de resolver, que eu tenha um espaço de descompressão e que em alguma emergência, eu tenha a confiança, a credibilidade e a autonomia para me ausentar, resolver e voltar.


Eu acredito no office, e, também, acredito no home. Mas cada um com o seu papel e responsabilidade.


A minha conclusão com tudo isso, não acho que ninguém deixará de trabalhar por falta de flexibilidade, mas estou convicta que a complexidade irá enlouquecer muitas pessoas.


Gostou deste texto?


Então, me conta o que achou nos comentários e compartilhe para ajudar a espalhar essa ideia.


Kátia Regina

Mulher | Mãe | Esposa | Executiva de RH | Apaixonada por gente, histórias e experiências | Escritora de artigos e rumo a publicação de livro(s)


Originalmente publicado em www.katiaregina.com




17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page