top of page
DSC03104-2.jpg

Quando eu devo passar no RH?

Atualizado: 23 de ago. de 2021

A expressão “passe no RH” ainda te remete a um momento de demissão, desligamento por performance ou recebimento de alguma punição? Se a resposta ainda é SIM, você ainda não aprendeu quando deve ”passar no RH”.


Não deveríamos pensar em passar no RH somente no momento de demissão. Tampouco deveríamos ir até o RH para buscar promoção, aumento salarial, tirar dúvidas de benefícios, indicar currículos ou buscar treinamentos. Afinal estes são processos obrigatórios de qualquer RH (pelo menos é o que geralmente se espera de uma área de RH).


Então, quando eu devo passar no RH ?

gif

Deveríamos passar no RH, especialmente, por dois motivos:


1) quando eu quero ficar na empresa.

2) quando eu quero ajudar alguém a ficar na empresa.


Devemos sempre lembrar que, a opção de estar ou não estar trabalhando em uma determinada empresa é uma escolha, principalmente, do profissional. A gente pode acordar todos os dias, começar a trabalhar e simplesmente não ”estar” trabalhando, ou seja, não se dedicar, não se engajar e não atuar.

Quando chega neste estágio, ou melhor ainda, quando há indícios de que a relação com o trabalho está caminhando para esta situação, o profissional deveria “procurar pelo RH”.

O RH que eu acredito, é aquele capaz de esclarecer porquê a Empresa precisa deste profissional; potencializar porquê este profissional foi escolhido pela empresa e guiar este profissional para as ajudas necessárias .


É o RH que irá “salvar“ este profissional? É claro que não, mas é no RH que se consegue uma reflexão dos motivos que possam estar abalando este profissional. Talvez isso se chame coaching, papo de carreira, mentoring ou outra técnica. Eu chamaria, simplesmente de “passe no RH”.


Ainda nesta ótica, talvez você acredite que o segundo motivo de passar no RH, “quando eu quero ajudar alguém a ficar na empresa”, esteja relacionado no momento que você identifica que um colega expressa a vontade de sair da empresa, certo? Errado.


Se você se depara com uma pessoa nesta situação, você precisa acolher, ouvir e orientá-la a procurar pessoas que possam ajudá-la a tomar a melhor decisão. Mas você não deve ”passar” no RH por este motivo.


Se você quer ajudar alguém a ficar na empresa, passe no RH para registrar, no canal oficial de “ouvidoria” da empresa, a sua admiração e gratidão por estar neste trabalho. É se tornar porta-voz. É se tornar, espontaneamente, um influencer, uma referência, uma inspiração.

Esta é a principal ação de retenção que pode existir em uma empresa. Ela ser reconhecida como um local bom de trabalhar pelas pessoas que trabalham nela.


Muito melhor seria pensar em passar no RH, e ter como referência, ir até um local que nos faça bem, não é?


Mas RH, neste caso, não é uma área, não é um local, é uma pessoa, um ser humano, um alguém. Então para que esta expressão seja revertida em um momento positivo, precisa-se de um alguém engajado, comprometido e dedicado a querer outro alguém passando no RH.

Gostou deste texto?

Então, me conta o que achou nos comentários e compartilhe para ajudar a espalhar essa ideia.

Kátia Regina

Executiva de RH | Apaixonada por gente, histórias e experiências | Escritora de artigos e rumo a publicação de livro(s)

Originalmente publicado em www.katiaregina.com

23 visualizações1 comentário
bottom of page