top of page
DSC03104-2.jpg

Será que o meu salário é justo?

Atualizado: 23 de mai. de 2021

Você ja teve a sensação de que você merecia ganhar mais salário pelo trabalho que você executava?


Eu já🙋🏽‍♀️!


Ou você já teve a percepção que alguém que trabalhava bem menos do que você ou que se esforçava bem menos tinha um salário bem maior do que o seu?


Eu também já 🙋🏽‍♀️!

E será que realmente esta sensação e percepção estavam certas?


🤷🏽‍♀️


Em uma empresa séria, cujo respeito aos colaboradores é levado realmente a sério, eu tenho certeza que existem metodologias, pesquisas e inúmeras análises para garantir que a remuneração seja paga de forma justa.

Mas eu não estou aqui para falar sobre os métodos utilizados nas empresas, a minha ideia é abordar, na ótica da Pessoa, se ela de fato tem sido remunerada de forma justa.


Ao longo da minha carreira em Recursos Humanos, em especial, nesses últimos anos que eu estou atuando diretamente com Remuneração, eu notei algumas características de profissionais que estão confiantes que possuem um salário justo.


Profissionais com esta confiança sabem que tem um conhecimento necessário para existência da empresa e, que este conhecimento não é muito fácil de se encontrar em outros profissionais.


Estes profissionais sabem também resolver problemas complexos de forma simples, e, geralmente é um tipo de problema existente em várias outras empresas.


São profissionais que valem a pena conhecer por que são agradáveis, respeitosos, engajados com o time e com o propósito da Empresa.


E sabe porque estes profissionais tem a certeza que recebem um salário justo?

Porque iguais a eles e elas encontramos poucos, e quando são encontrados os salários além de serem justos são complementados com iniciativas de desenvolvimento, qualidade de vida e reconhecimento.

Essa mesma condição acontece com os famosos colecionadores quando encontram uma peça rara para a sua coleção, qual o preço que eles estão dispostos a pagarem por essa peça?


Ou naquele momento da doença de um ente querido, um pai, uma mãe ou um filho, onde a pessoa descobre uma médica capaz de oferecer um método de cura. Qual o preço que esta pessoa pagaria para ter acesso a esta médica?


As analogias podem até ser pouco mais “simples”, como por exemplo: Qual o salário que merece o padeiro daquela padaria que, diariamente, forma fila de pessoas, porque vende o pão mais gostoso do bairro? Qual é o salário que aquele professor merece porque faz da aula um momento inesquecível e essencial?

Você também não tem a certeza que se estes profissionais estiverem em uma empresa séria o salário deles não seriam justos?


Agora avalie o quanto diferenciado você tem sido? Será que o seu salário tem sido justo?


Gostou deste texto?

Então, me conta o que achou nos comentários e compartilhe para ajudar a espalhar essa ideia.
 

Kátia Regina

Executiva de RH | Apaixonada por gente, histórias e experiências | Escritora de artigos e rumo a publicação de livro(s)


Originalmente publicado em www.katiaregina.com





32 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page