top of page
DSC03104-2.jpg

Você tem 1 minuto?

“Você tem 1 minuto?” “Só preciso de 5 minutinhos.” “É bem rapidinho”. Quem já não foi abordado por alguém desta maneira, e o que era para ser rápido, se prolongou por muuuitos minutos?


É fato que, em especial no mundo corporativo, a nossa relação com o tempo ganhou um patamar de velocidade inacreditável. Parece que quem não está correndo, ocupado ou sobrecarregado, não está sendo produtivo.


Que grande mentira!🤦🏾‍♀️


E por este incorreto entendimento, naturalmente, quando buscamos por alguém já anunciamos o tempo que, supostamente, durará a conversa, para que o outro saiba que não ocupará muito tempo, e te dê a devida atenção.


Além dos prováveis problemas de saúde mental, que está corrida contra o tempo pode ocasionar, o que eu trago aqui para reflexão é, como você, que tem este hábito de abordar as pessoas pedindo “alguns minutinhos” pode estar sendo visto😬.


Chato? Inconveniente? Invasivo?


Isso não é nada bom, não é?


Mas como ganhar a atenção de uma pessoa, sem a culpa de estar ocupando muito o tempo do outro?


Não sabemos se existe uma fórmula mágica, mas talvez estas duas dicas possam facilitar reduzir este incômodo. Vamos tentar?


  1. Não comece pedindo desculpas, afinal, só é urgente porque o tema é importante para o OUTRO.

  2. Não termine com um simples obrigado, mas ressalte o quanto foi importante esta conversa para VOCÊ.


Entendeu? A dica preciosa é: se para ambos a conversa é interessante, não tem motivo para se preocupar com o tempo. Quando o assunto é relevante, o tempo se torna irrelevante.

Gostou deste texto?

Então, me conta o que achou nos comentários e compartilhe para ajudar a espalhar essa ideia.
 

Kátia Regina

Executiva de RH | Apaixonada por gente, histórias e experiências | Escritora de artigos e rumo a publicação de livro(s)


Originalmente publicado em www.katiaregina.com











47 visualizações0 comentário
bottom of page